Minha fé será uma resposta concreta a Deus, não só com palavras, mas com a minha vida

Minha fé será uma resposta concreta a Deus, não só com palavras, mas com a minha vida

Fé é uma palavra que significa “confiança”, “crença”, “credibilidade”. A fé é um sentimento total de crença em algo ou alguém. Fé não é algo intelectual.  Eu  sempre falo que fé é uma resposta a Deus.  Portanto Deus é mais uma pergunta do que uma resposta. Ele me questiona e o jeito que levo a minha vida é a resposta .
O verbo crer vem do latim Credere que vem de uma outra palavra latina Cordare  que significa dar o coração que significa amar.   Acredito  num Deus que me ama.  Se Deus me ama e me sinto amado por Deus, minha fé será uma resposta  concreta a Deus,  não só com palavras mas com a minha VIDA.

Eu creio, mas mostro o meu amor para Ele,  amando o meu próximo como ele nos ensinou na pessoa de Jesus. Fé é ter um relacionamento com  Ele e  com o outro.  Eu preciso confiar.   Eu confio naquele que conheço. Como posso conhecer a Deus?    Como está escrito em hebreus 11,1. “a fé é a firme garantia do que se espera a prova do que não se vê...”
Deus, ao que parece, não pode realmente ser conhecido, mas apenas relacionado. Ou, como os místicos afirmam, conhecemos Deus amando a Deus, confiando em Deus, colocando nossa esperança em Deus. Eu acredito num Deus que se tornou presente na pessoa de Jesus Cristo.  Não me preocupo com as definições dos filósofos sobre a onipotência de Deus,  um Deus Todo Poderoso, mas na figura de um Jesus que se encarnou no mundo em Belém como criança, morrendo no alto de uma cruz e derramando seu sangue como prova de Amor por nós.
Mas acredito na vida de Jesus e as suas histórias como “O Bom Samaritano”. (Lucas 10,25-37) Que espanta os líderes religiosos do seu tempo colocando um não crente como exemplo da maneira que a fé em Deus é direcionada. O homem que caiu nas mãos dos assaltantes.  Pode ser que este samaritano,  nem acreditava em Deus, mas acreditava que a vida humana é algo preciosa  e sem perguntar,  tratou o  ferido com amor.
Acredito neste Deus de Jesus Cristo porque chama Deus de Pai (Abba)  E vendo a maneira que o pai tratou o filho pródigo   (Lucas 15, 11-32 ) abrindo os braços para acolhê-lo,  posso dizer sim eu Creio neste Deus de perdão, de compaixão, de ternura  e de compreensão. E assim como  Jesus mostra como deve ser o comportamento do Cristão, assim queremos ser seguidores dele. Mas Jesus teve um relacionamento íntimo com o Pai na oração e se quisermos continuar amando como ele, então nosso relacionamento como ele também precisa se aprofundar como qualquer relacionamento de amor. “Jesus manifestou a sua glória e os seus  discípulos acreditaram 
nele”, João 2,11 
Pe. José Dillon

Padre José Dillon
Foto: M.K.

Pandemia, tempo de reflexão e valorização da vida

Uma vez que sabemos que toda a criação, todo o mundo físico ao nosso redor é tanto o esconderijo quanto o local da revelação de Deus. Este mundo se torna um lar, seguro, encantado, oferecendo graça a qualquer um que olhar profundamente. “Eu chamo esse tipo de visão profunda e calma de contemplação”.

É no ambiente onde reconhecemos  que toda a terra é Sagrada, e não somente igrejas e santuários, que entendemos a história da Sarça ardente, onde Deus fala com Moisés “tire sua sandália porque  o lugar onde pisa é sagrada. Exodo3, 5.. Toda a criação está gemendo em um grande ato de dar à luz (ver Romanos 8:22). A coisa toda está renascendo, religada e realinhada. Em vez de ver as coisas naturais como meros objetos a serem usados, devemos permitir que a natureza nos encante.
O Papa Francisco fala da nossa  responsabilidade de cuidar da nossa casa, o planeta terra,  significa  cuidar da terra, do bairro, das ruas, não jogar lixo em qualquer lugar, poupar água em tempos de seca, é a maneira de agradecer a Deus por este dom dado gratuitamente para nós. Por isso a religião não é só na igreja que participamos, mas o cosmos todo onde vivemos.
Apesar das dores e tribulações que o universo passa neste tempo de Covid-19, a natureza nos ajuda a levantar os olhos novamente para o céu em gratidão por nossa sobrevivência.
No meio do inverno brasileiro o Ipê floresce, iluminando com as suas cores roxa, rosa, branca e amarela, os nossos momentos frios de depressão, desânimo e assim a Vacina nos dará ânimo e imunidade contra o vírus.
 Que neste tempo de Covid-19 seja um tempo também de aprendizagem, de ver a nós mesmos, como somos gratos, até pelas experiências negativas.
Como idoso, dou graças a Deus nestes tempos, que os idosos foram os primeiros a ser vacinados. Os últimos desta vez foram os primeiros. Mas não sei ainda se foi à melhor estratégia.  Nós ficamos em casa como fomos avisados, mas os jovens e adultos precisavam enfrentar os ônibus e metrôs lotados onde a propagação do vírus foi uma das causas das hospitalizações.  Só no futuro vamos ver se foi à melhor estratégia ou não.
Enquanto estamos vigiando e lentamente reconhecendo que a vacina era a única solução, lamentamos as decisões que não foram feitas no início da pandemia. 
Com a Graça de Deus nós nos recuperamos.  Ele nos mostra que assim como a natureza se recupera na primavera, sobreviveremos para ver melhores dias.
Pe. José Dillon
Paróquia São Marcos - Pq. São Rafael

Pe. José Dillon
Foto: M.K.

“Cristo é a nossa paz: do que era dividido, fez uma unidade”

O tema “Fraternidade e Diálogo: compromisso de amor”
A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (Conic) lançaram na 4ª feira de Cinzas a Campanha da Fraternidade Ecumênica de 2021 com o tema “Fraternidade e Diálogo: compromisso de amor” e o lema “Cristo é a nossa paz: do que era dividido, fez uma unidade”. Ef 2,14

O tema do diálogo é uma continuidade da campanha de 2020, sobre cuidado mútuo entre as pessoas, e não se trata de “querer que todos pensem do mesmo modo”, mas de perceber que a diferença é convite ao diálogo.
A campanha é realizada todos os anos no tempo da Quaresma, período de 40 dias que antecede a Páscoa. Esta é quinta edição ecumênica da campanha, que congrega diversas denominações cristãs com o objetivo de valorizar as riquezas em comum entre as igrejas.
Desde 2000, a campanha abordou os seguintes temas: 2000 – “Dignidade humana e paz” e lema “Novo milênio sem exclusões”; 2005 – “Solidariedade e paz” e lema “Felizes os que promovem a paz”; 2010 – “Economia e Vida” e lema “Vocês não podem servir a Deus e ao dinheiro”; 2016 – “Casa Comum, nossa responsabilidade” (tratou do meio ambiente e saneamento básico) e lema “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca”.
De acordo com a CNBB, a Campanha da Fraternidade tem como gesto concreto a coleta de recursos para apoio a projetos sociais relacionados à temática da campanha. Em 2019, o Fundo Nacional de Solidariedade distribuiu mais de R$ 3,8 milhões, atendendo a mais de 230 projetos. Em 2020, por causa da pandemia, não ocorreu a arrecadação.
Por muitos anos a igreja católica trabalha com o tema de Ecumenismo, através do diálogo, isto é, ouvindo e falando do respeito que temos para com outro ser humano e aceitamos que ele pode ter ideias diferentes das nossas. O respeito que temos para com a outra pessoa, aceitando suas opiniões e ideias. O respeito é... Que apesar das suas opiniões serem diferentes das minhas, meu respeito para ele como filho amado de Deus continua.
Eu sempre lembro o profeta Isaias 55, 8-9
Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos, os meus caminhos, diz o SENHOR, porque, assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, mais altos do que os vossos pensamentos.
Com tantas opiniões hoje é necessário o diálogo para discernir o que o Espírito Santo quer nos revelar. Mas este mesmo Espírito impeliu Jesus para o deserto e enfrentar os “animais selvagens” (Marcos 1,13), mas ajudado pelos “anjos” ele enfrentou o mal. Viu que o ser humano vai sempre ter medo do desconhecido quando não enfrentado. E não precisa medo desta busca de diálogo, porque o Amor de Deus vai sempre estar para nos orientar.
Quaresma é uma preparação para Páscoa, vamos não somente orar para isso acontecer, mas trabalhar com os 3 pedidos: Oração, Jejum e Esmola. A Campanha da Fraternidade 2021 é uma ótima maneira de fazer isso acontecer.

Pe. José Dillon