Tempo malvado

Pode o malvado tempo,
Enrugar nossos corpos e nossas faces!
Ah! Sim, Ele pode!

Ó intrépido e estoico tempo, eu o desafio,
Você, com todo seu poder transformador,
E eu, com o mais puro sentimento de um verdadeiro amor, contido, aqui, dentro de mim,
Por ela que me envolveu pelo cheiro do perfume dela, pelo sorriso plácido e cativante que me fez também sorrir, concomitante;
 
Jamais enrugará esse meu amor;
É força que sai de dentro, que me fortalece que me faz homem amante de todo coração;
Jamais serei subserviente aos seus desatinos, ó tempo atroz,
Não é e nunca foi esse o meu destino;
 
Meu destino é amar!
 
Sei que amar é sofrer,
Sofrer de saudade, 
Sofrer de vontade,
Sofrer de querer,
Deitar, sobre seu colo,
E viajar, num sonho interminável de amor,
Quando a distância deixa de existir,
E todo o meu coração vive em você!
J.Torquato, advogado e escritor