Bandeira de Sapopemba e sua história

Bandeira de Sapopemba e sua história

Tramita na Câmara Municipal de São Paulo o projeto de lei para oficialização da Bandeira de Sapopemba, de autoria da Vereadora Edir Sales. De forma construtiva, informamos que a Bandeira de Sapopemba existe, não oficializada, desde 2010. Consta oficialmente no site da Prefeitura. À época, o Jornal do Bairro de Sapopemba e a Comissão Pró-Festejos do Aniversário de Sapopemba tinham a intenção de encaminhar à Câmara Municipal, mas, arbitrariamente, o festejo foi retirado dos organizadores originários. Sapopemba ficou sem uma grande festa até 2019. Depois veio a pandemia.
Estamos conversando com a Vereadora Edir Sales, parceira em muitas lutas pelos moradores de Sapopemba. Creio que é possível adequar a bandeira unindo as duas propostas.
A bandeira original tem o conteúdo que retrata o mapa do bairro, a Av. Sapopemba e a faixa da Adutora do Rio Claro, a árvore tabular, as cores azul, branca e verde de Nossa Senhora de Fátima e São Roque.
Publicamos o texto do site da Prefeitura de São Paulo de autoria de Laura Kamisaki em 23/06/2010.
Sapopemba com a sua história e seus símbolos
Sapopemba comemora no dia 26 de junho, o 100º Aniversário, data que faz parte do Calendário da Cidade oficializada em 1997, onde também são festejados os 25 anos da elevação à condição de Distrito de Sapopemba, ocorrido em 26.06.1985. A data também possibilitou a instalação do 350º Zona Eleitoral de Sapopemba e o Cartório de Registro Civil das Pessoas Naturais de Sapopemba e, em 2008, a implantação do 421º Zona Eleitoral do Teotônio Vilela e a vinda de novos equipamentos sociais.
O Distrito de Sapopemba é um dos principais pólos de crescimento da Região Sudeste com aproximadamente 350 mil habitantes e 254 mil eleitores. Ao longo dos 100 anos, a sua população demonstra sua força com que trabalha e luta, por novos ideais e melhoramentos.
Sapopemba cresceu, mas ainda enfrenta a desigualdade social. Superou o período de violência de 2001/2002 e início de 2003, através de novos serviços e instalação de equipamentos sociais, consolidação da infraestrutura de Segurança Pública e da promoção de atividades culturais, educativas, esportivas e de cidadania, realizadas pela comunidade, pelo Jornal do Bairro de Sapopemba, Copa Leidiane de Futebol Amador, Programa Escola da Família e Polícia Militar.
Na comemoração do centenário temos muito a festejar, com a inauguração em 16 de janeiro passado, do Parque da Integração Zilda Arns sobre as faixas do Sistema de Adução Rio Claro, pela Sabesp em parceria com a Prefeitura.
Hoje a população de Sapopemba tem os serviços do Cartório de Registro Civil das Pessoas Naturais, Hospitais Estadual e Local de Sapopemba e o Hospital Municipal Dr. Benedicto Montenegro, o Centro de Referência da Assistência Social, os CEUS Sapopemba e Rosa da China e centenas de outros equipamentos municipais e estaduais.
Árvore Sapopema
“Sapopema” ou Sapopemba (do tupi sau’pema). Grande raiz tabular que cerca a base do tronco de algumas árvores da floresta, particularmente comum na mata de terra firme da imensa Amazônia. Existe outro tipo de Sapopema na Mata Atlântica, nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Bahia. Conta o morador Oswaldo Pedroso, descendente das famílias fundadoras do bairro que na década de 50 foi cortada a árvore Sapopemba que existia na Rua Víctor Miguel Romano no centro comercial do bairro. Em Sapopemba existiam chácaras de hortaliças e de caqui e muitos eucaliptos, que foram desaparecendo dando lugar ao crescimento urbano.
Bandeira de Sapopemba e a retratação da história do bairro
A Bandeira de Sapopemba foi idealizada pelo Jornal do Bairro de Sapopemba e membros da Comissão Pró-Festejos do Aniversário de Sapopemba, tendo como referências a religiosidade, o mapa do Distrito de Sapopemba e a estilização da árvore Sapopemba.
A árvore Sapopemba aparece em branco, com fundo azul que são as cores de Nossa Senhora de Fátima. O solo está representado pelo mapa da área ocupada pelo bairro. Em verde (cor de São Roque) está escrito Distrito de Sapopemba, condição essa conquistada em 1985 e com a intenção de unir as dezenas de vilas que margeiam a extensa Av. Sapopemba.
História da religiosidade de Sapopemba
Por volta de 1910, Sapopemba foi povoado por algumas famílias proprietárias de chácaras, que cultivavam hortaliças e frutas. Na época, a devoção dos moradores era por São Roque (santo francês que protegia os enfermos numa época de peste bubônica, febre amarela e varíola que se espalharam pelo mundo), os fiéis pediam a intercessão do santo. Em Sapopemba foi construída a Capela de São Roque, em 1918. A capela foi destruída mais tarde e outra construída próximo à anterior, mas não está aberta à visitação pública. A comemoração de São Roque acontece no dia 16 de agosto no Santuário de Nossa Senhora de Fátima e São Roque.
Com a chegada dos imigrantes, principalmente os portugueses, foi crescendo o povoado de Sapopemba e após a aparição de Nossa Senhora de Fátima, em 1917, em Portugal, a fé cristã passou a aglutinar milhares de pessoas devotas da santa. As famílias portuguesas cotizaram-se e encomendaram uma imagem de Fátima à Igreja Católica em Portugal em 1931 chegou ao bairro.
A fé em Nossa Senhora de Fátima motivou milhares de romeiros que vinham do interior, de outros estados e até de Portugal para participar da grande festa que acontece durante o mês de maio. Contam os moradores que as pessoas acampavam na procissão que percorria um grande trecho da Av. Sapopemba, que terminou na década de 80. Hoje nas dependências do Santuário de Fátima e São Roque acontecem as comemorações que continuam atraindo milhares de pessoas.
Muitos moradores são devotos de São Benedito, que através de sua bondade realizou a multiplicação dos pães no Convento que estava sob a sua responsabilidade. Saciou a fome dos necessitados e transmitiu esperança ao próximo.
Foto: E.K.